Inaugurado em Oeiras, matadouro para animais de pequeno porte é referência no Piauí

Entrou em atividade, oficialmente, na última sexta-feira, 23, o Matadouro Municipal para Animais de Pequeno Porte. O local foi criado para disciplinar o abate de caprinos, ovinos e suínos, resguardando as medidas sanitárias necessárias para garantir carne saudável para a população de Oeiras.

Agora, o município se credencia para emitir o Selo de Inspeção Municipal (SIM), responsável pelo controle da qualidade dos produtos de origem animal, monitorando e inspecionando a sanidade do rebanho, o local e a higiene da industrialização, certificando com selo de garantia carnes e derivados. “É um passo importante no Estado do Piauí, por ser o primeiro a procurar ter o Selo de Inspeção Municipal (SIM). Isso vai ser uma referência estadual. Com isso, os consumidores vão ter a garantia de que irão consumindo uma carne de qualidade”, ressalta o veterinário João Carvalho, da Vigilância Sanitária.

As regras de funcionamento do matadouro para animais de pequeno porte foram definidas através de entendimento da Prefeitura de Oeiras, por meio da Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente, e o Ministério Público. “Com essa estrutura e os serviços que devem ser contínuos, permanentes, prioritários não há como negar que é um grande tempo para Administração local e isso engrandece a todos nós, oeirenses, que damos bons exemplos para o resto Piauí”, comemora o promotor de Justiça, Carlos Rubem Reis.

O representante do Ministério Público comenta que a instalação do matadouro representa uma evolução na higiene e condições sanitárias praticadas no abate animal, no município. “Culturalmente esses abates, que eram feitos de maneira precária não refletiam a necessidade que a comunidade local desejava. Com a estrutura que foi montada, aproveitando aquilo que já existia, com as adaptações necessárias e, mais do que isso, com o serviço de orientação, consultoria e fiscalização, a melhoria da qualidade do fornecimento de animais de pequeno porte será um fator de destaque para a população”, ressalta o promotor.

“Vale a pena que a população possa contribuir e fiscalizar esses recalcitrantes que possam por ventura estar fazendo abates clandestinos de animais de pequeno porte – caprinos, suínos e ovinos – para que haja a repreensão necessária. Também a população tem que colaborar, no sentido de exigir o selo de qualidade da carne fornecida. Aqui sai chancelada para que se faça a escolha correta, sabendo da qualidade do que está adquirindo”, defende Carlos Rubem, que visitou o local na companhia do prefeito de Oeiras.

José Raimundo acredita que a instalação do matadouro oferece mais segurança alimentar para a população de Oeiras. “Este espaço que estamos disponibilizando para as pessoas que têm atividade de abater animais de pequeno porte – como caprinos, ovinos e suínos – obedece às regras de vigilância sanitária. Antes, animais eram abatidos em residências em condições duvidosas. Agora, a população tem a certeza de que vai estar recebendo uma carne inspecionada pela vigilância sanitária, com a segurança alimentar necessária para não oferecer riscos à saúde”, argumenta o prefeito.

A estimativa é que cerca de 500 animais de pequeno porte sejam abatidos, por mês, no local. “Tínhamos um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) com o Ministério Público e dentro deste período cumprimos com o tempo adequado, entregando toda a estrutura com condições ideais para que os animais possam ser abatidos neste local. Nossa intenção é fazer com que a população de Oeiras receba produtos de origem animal, com qualidade e inspecionados”, pontua Juvenal Souza, secretário municipal de Agricultura e Meio Ambiente.

Você pode gostar...