Curso de produção audiovisual tem início na Praça da Juventude, em Oeiras

Teve início este final de semana, na sala de informática da Praça da Juventude, o curso de Produção Audiovisual. A capacitação, que tem como público alvo jovens em situação de vulnerabilidade social, é fruto de uma parceria da Prefeitura de Oeiras, através da Secretaria de Juventude, com o Instituto Comrádio do Brasil.

O curso é composto por quatro módulos, que abordam temáticas como: cultura empreendedora e gestão em comunicação, mídia social e internet, produção para o rádio e streaming e produção de vídeo com poucos recursos.

A secretária municipal de Juventude, Heloísa Helena, destaca que o curso é reconhecido pelo Ministério da Educação e oferece aos jovens uma importante bagagem. “É um curso técnico é de grande relevância para os jovens, a partir do momento que ele tem um reconhecimento nacional. O curso também trabalha a tecnologia, que é algo que o jovem se identifica muito, quando se trata de fanpage, mídia social. E a temática abordada, na qual toda ênfase é voltada para reflexão do uso das drogas, na dimensão da prevenção”, considera a secretária.

“Então, é um trabalho que conscientiza, prepara o jovem e que ele sai com duas formações concomitantes, porque ao mesmo tempo em que ele se apropria de um tema, ele vai estar se preparando para que também possa ser mediador da prevenção das drogas e também vai ter uma formação de maneira individualizada, como no caso da administração das fanpages”, avalia a secretária.

O projeto Jovens Radialistas do Semiárido, desenvolvido pelo Instituto Comradio do Brasil, foi implantado em Oeiras em 2014, com apoio da organização não-governamental suíça Brücke Le pont. A Fundação Dom Edilberto Dinkelborg também é parceira do projeto.

“Nossa expectativa é que eles entendam que a comunicação é capaz de gerar processos de transformação social, que vão além da divulgação. E que a comunicação é muito maior do que isso: ela pode provocar na comunidade reações capazes de fazer transformações efetivas. Então, se ao final do curso, eles saírem com essa linha de pensamento, de que para provocar transformações eles vão precisar fazer uma comunicação com muito cuidado e responsabilidade, com muito amor realmente à causa da comunicação, aí a gente já venceu, já ganhou”, discorre o coordenador do projeto, Jessé Barbosa.

Você pode gostar...